Sábado, 28 de Abril de 2012

Momentos do Passado Recente

Sevilha 2012. Na capital da Andaluzia qualquer Português pode perceber como até do desenvolvimento Espanhol estamos a considerável distância. Pese embora as diferenças de localização e orografia, em comparação com Lisboa pareceu-me uma cidade mais limpa, organizada, requalificada e educada. Comparar o 'core' do centro da nossa capital com o de Sevilha é frustrante.

sinto-me: bem
música: Demon Days (Gorillaz)
publicado por Planeta Roxo às 23:18

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 27 de Abril de 2012

Momentos do Passado Recente

End of days, Alentejo entering the night. Any given spring friday (27/04/2012)

 

sinto-me: bem
música: Rumo ao Sul
publicado por Planeta Roxo às 22:25

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 20 de Abril de 2012

Flash Liberal- Manual do Chico-Esperto Apanhado

Lição para iniciados. Se forem figuras públicas, aquando de problemas com justiça por actos graves contra terceiros (ciladas criminosas), digam algo disto a um dos microfones do país;

 

«Aos sportinguistas o que eu digo é que tenho quatro mastros para pintar, duas bancadas novas para fazer, uma bancada da família, uma sala nova para os sócios do Sporting e tenho muita obra para fazer até Agosto, que é o timing que eu entendi que devia ter para fazer este tipo de obra»

 

A pérola da semana vinda directamente do clube dos doutores e engenheiros! Lamentável, cómico, daria mesmo pena se não fosse grave. A confirmarem-se as suspeitas concordo com aqueles que dizem que o Sporting deveria ser impedido de jogar a final do Jamor em detrimento do Nacional. E porque não um Nacional-Marítimo para decidir o finalista? Original, justo e arrojado. Requeria uma justiça desportiva e civil célere, rápida e competente, não temos em Portugal.

A ser verdade, o Vice-Presidente do Sporting armou cilada a um árbitro na sua qualidade de adepto comum e em prol da sua empresa de bolos. Evidente, toda gente sabe! Qualquer profissional da justiça vende essa tese como verdade pura. O Sporting? Não! Não é feito de pessoas. Ou melhor, é, mas de pessoas desdobráveis que apenas partilham o corpo que lhes dá presença. Há o homem vice-presidente, sócio, adepto, chefe de família e ex-funcionário público. Várias almas o mesmo corpo. Tese interessante portanto. Nem sequer as instituições são premiadas ou penalizadas em consequência dos actos dos seus dirigentes...isso é só no primeiro mundo.

 

Fica aqui também lavrada minha indignação pelo branqueamento a que comunicação social portuguesa está a sujeitar este caso.

sinto-me: bem
música: Welcome to the Jungle
publicado por Planeta Roxo às 23:41

link do post | comentar | favorito

Alguém que verifique o meu cérebro, Portugal dá cabo dele.

sinto-me: bem
música: Alice in Chains
tags:
publicado por Planeta Roxo às 19:54

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 12 de Abril de 2012

Notas Direitas: A nova taxa de Saúde e Segurança Alimentar – As baboseiras inadmissíveis da Ministra Assunção Cristas

1ªNota: A ministra Assunção Cristas ao querer sacrificar toda a fileira Agro-Alimentar com taxas injustificadas pretende fazer de nós, mais uma vez, parvos e escravos da máquina estatal. A Saúde e Segurança Alimentar são causas de interesse geral, como tal, é dos impostos e não de taxas selectivas que devem sair os financiamentos para a maioria das actividades de controlo oficial. Recorda-se ainda que não há subsidiação ou mercado regulado no sector terciário da fileira agro-alimentar (na esmagadora maioria do secundário também não). Tão pouco o Estado abona campanhas especiais visando empresas transformadoras ou de distribuição alimentar. Logo, não vejo contrapartidas que justifiquem taxas específicas para o sector em causa. Mesmo por isso, regulamentação comunitária é tão clara nos princípios gerais de provisão das receitas para controlos oficiais no âmbito da segurança alimentar, i.e., tirando casos particulares de razão atendível (ver nota 4), deixa campo aberto para opções políticas nacionais.


«Se temos a ambição e a obrigação de termos sistema seguro do ponto de vista alimentar que garanta a todos os consumidores que o que consumimos está em boas condições, precisamos de ter controlo ao longo de toda a cadeia e que ela venha a contribuir para este fundo que, como digo, na sua maioria vai ser alimentado por taxas que já existem sobre a produção e sobre a indústria transformadora» (Assunção Cristas, Ministra da Agricultura, Pescas, Ambiente e Ordenamento de Território)

 

2ªNota: A ministra é uma ignorante sobre a matéria e nem sequer disfarça bem o verdadeiro objectivo da medida. Encheu pelos ouvidos porque quis ou lhe convém, pois se não sabe deveria saber que a garantia de segurança alimentar é uma obrigação dos agentes económicos, deveria ter dito, em vez de 'garanta', 'valide os sistemas de prevenção das empresas', porquanto o estado, nos seus controlos, não garante segurança alimentar, mas sim valida a forma sistematizada como as empresas o fazem. É inclusive demagógico e perigoso dar a entender que estas novas taxas serão potenciadoras de mais segurança alimentar.


3ªNota: Depois há outras questões técnicas a ter em conta que reforçam a injustiça da medida; Para ser minimamente coerente, a taxa aplicada a grandes superfícies não poderá ser por área total, mas sim por área afecta às trocas comerciais de carnes frescas e de produtos de origem aninal. E mesmo assim seria injusto. Na distribuição não há perigos significativos específicos que obriguem a esforço especial de controlo pelo Estado. Mais, se há empresas que controlam bem e têm bons técnicos de segurança alimentar elas certamente estão todas nesta área de negócio, logo, não percebo a questão do 'precisamos de ter controlo em toda a cadeia'. Ele existe e é razoavelmente bem feito, o Estado não tinha necessidade nenhuma de intervir.  


«nós já temos os produtores e a indústria transformadora a contribuírem com taxas específicas há muito tempo criadas nesta matéria. Não tínhamos o contributo da grande distribuição e para nós é importante que haja uma repartição solidária, uma responsabilidade partilhada e equitativa» (Assunção Cristas, Ministra da Agricultura, Pescas, Ambiente e Ordenamento de Território)


4ªNota: Mais uma vez na ânsia de arranjar receitas a Ministra troca-se toda na declaração acima. É falso o que diz. Só as actividades, essas sim de perigosidade atendível, têm estas taxas específicas (UE obriga). Estamos a falar de actividades comerciais de animais vivos, antibióticos para animais, resíduos de origem animal, carnes frescas e de produtos de origem animal. Uma fábrica que descasca batatas não paga esta taxa, nem uma fábrica de bolos, nem uma adega. E tinham que pagar? Evidentemente que não, é injustificável por razões de segurança alimentar. E aqui fica a curiosidade, vão passar a pagar? Em que moldes e com que isenções? E já agora porque ficam de fora restaurantes? Quando estatisticamente são maiores responsáveis por intoxicações alimentares? Toda a argumentação da Ministra não tem pés nem cabeça do ponto de vista técnico. E outra coisa! Então se é para repartição solidária porque não se baixam as taxas nas actividades já a elas sujeitas?

 

«estes custos terem de ser suportados sob pena de nos colocarmos em perigo a nossa saúde e de colocarmos em perigo as nossas exportações»(Ministra da Agricultura, Pescas, Ambiente e Ordenamento de Território)


5ªNota: E agora a questão política que descredibiliza o CDS/PP, PPD/PSD e Governo. O que mete verdadeiramente em causa exportações e consumo interno de produtos alimentares nacionais não é a potencial perigosidade para a saúde dos seus consumidores (estamos ao nível do primeiro mundo), mas sim a carga de impostos e obrigações para com o Estado a que empresas de pequena e média dimensão estão sujeitas. Neste aspecto, tendo também em conta comparação com os nossos competidores mundiais, estamos claramente parante mais um alarde demagógico da Ministra que basicamente não tem coragem de dizer aquilo que deve, i.e., ‘como os impostos não chegam peço desculpa tenho que sacar mais para sustentar a Direcção Geral de Alimentação e Veterinária’. 

 

6ªNota: Por fim fica a minha indignação para com um governo que promete a libertação da sociedade mas na prática a torna escrava de um Estado calão e incompetente. Será que com o IVA a 23% numa parte considerável de produtos alimentares (ficaram de fora muito poucos e os que ficam quase todos cabem nos descritos na nota 4) é justo vir com taxas deste tipo em nome da repartição de custos de segurança alimentar? Eu acho que não. Já estão todos mais que absorvidos pelo cliente ou empresas.

sinto-me: bem
música: Everything's Ruined (Faith no More)
publicado por Planeta Roxo às 16:16

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 10 de Abril de 2012

Flash Liberal- 2011/2012, Culpados de mais uma época falhada

Como tipo racional tendo a quantificar quase tudo. Assim, aqui vão os responsáveis e em que grau de mais um falhanço no meu clube;

 

Acusados primeiros com 65% de culpabilidade. Os árbitros, quem os nomeia e o Presidente da Federação Portuguesa de Futebol. As suas figuras e actos materializam aquilo a que eu chamo os 'fenómenos do Entrocamento' do futebol Português. Aqui vão alguns exemplos;

Acusados segundos com 35% de culpabilidade;
Luís Filipe Vieira deve muitas explicações sobre a condução estratégica do clube, bem como, quanto antes corrigir os estatutos em relação aos artigos que definem a elegibilidade dos sócios para candidatura a cargos directivos. Passou do 8 para o 80 temos que finalmente ir para o 40.
JJ deve simplesmente ser despedido! Não há espaço para mais uma época.
sinto-me: bem
música: Serenity (Godsmack)
publicado por Planeta Roxo às 15:43

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 9 de Abril de 2012

Flash Liberal- Desporto a Sério



No domingo de Páscoa foi dos E.U.A que veio o verdadeiro 'Ovo de Chocolate'. Árbitros que sabem sê-lo, equipas a competir, público civilizado e no final ganharam aqueles que conseguiram ser melhores durante 52 minutos de Basquetebol arrepiante. Na NBA não há lugar para Pedro Proenças e seus comprades que erram sempre para o mesmo lado. Nos E.U.A. os campeonatos ficam ligados a jogadores e não a gerações de árbitros. Árbitros incompetentes são afastados, os corruptos irradiados sem apelo nem demais. Hoje, peço jogo limpo para o meu Benfica, se tivermos que perder que seja por sorte ou mérito do adversário. Que os duelos desportivos cá tenham a mesmo respeito pelos adeptos visto nos E.U.A.. Os fãs pagam pelo show, dispensando 'falseadores' da verdade desportiva.
sinto-me: bem
música: Pride (U2)
publicado por Planeta Roxo às 18:50

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 6 de Abril de 2012

Notas Direitas- O Governo e os Subsídios de Férias e Natal (II)

1ªNota: O Governo vai mal ao socorrer-se de detalhes para justificar medidas de austeridade centrais. O programa de ajustamento estrutural e financeiro a que estamos sujeitos aponta objectivos orçamentais para 2014, mas, diga-se, se lá não estivessem era a mesma coisa, pois são linhas genéricas que além do mais vão ao encontro do novo tratado comunitário (a aprovar) sobre défices públicos. Resumindo, substantivamente, a aplicação de medidas estruturais e conjunturais do actual programa acabam em 2013. Logo, é chico-espertismo não dizer a verdade aos portugueses e nem sequer vejo vantagem relevante nesta tentativa de esgravatar datas no MeMo. Não há dinheiro ponto final parágrafo. As reformas estruturais não vão chegar a tempo. 

2ªNota: Assim, o Governo desde já deve comunicar claramente que só em janeiro de 2015 poderá fazer nova previsão sobre o levantamento da suspensão dos subsídios de Natal e Férias dos funcionários públicos. É preciso arrumar com o assunto durante 3 anos já!... Para, a cada 3 meses, não ter jornalistas sistematicamente à perna com este assunto.

3ªNota: E não sendo eu um profissional da política estranho como os 'experts' de comunicação ao serviço do Governo e os próprios governantes não exploram mais factos como este. Credibilizam as palavras de Pedro Passos Coelho quando diz 'todos estão a sofrer...o governo sabe ser forte com os fortes reduzindo também na despesa'. Ninguém disse que iria ser fácil mas com profissionais de mão cheia como o Paulo Macedo fica menos difícil.

sinto-me: bem
música: Medication (QOTSA)
publicado por Planeta Roxo às 00:04

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 4 de Abril de 2012

Notas Direitas- O Governo e os Subsídios de Férias e Natal

1ªNota: Pedro Passos Coelho (PPC) na sua mais recente entrevista 'esticou-se'. Resta saber se de forma propositada ou inadvertida. Eu penso que foi para preparar caminho, logo, alinho pela primeira hipótese.

2ªNota: A crer nas suas palavras, em 2014, não haverá reposição alguma de subsídios na função pública.

3ªNota: Arrisco mesmo a dizer que é o pré-anúncio de uma extensão do programa de ajustamento estrutural. Correndo tudo dentro do previsto, i.e, menos bem lá fora e cá dentro mal -mesmo assim razoavelmente dentro das metas orçamentais-, em 2014 virá mais dinheiro a juros controlados do FMI/UE/BCE. Não há tempo, dinâmica ou resistência à austeridade suficientes para recuperar o país do tremendo buraco onde se encontra. Três anos não chegam. Penso que foi isto tudo que PPC quis dizer sem ser explícito.

4ªNota: Para se ser tão claro na mensagem de hoje em relação aos subsídios, é porque realmente as contas do país estão numas trevas tais que até há disposição de pagar o preço político da clarificação para além do conhecido numa altura tão precoce. Agora, todos perceberam aquilo que não foi totalmente dito no ano passado, ou seja, a actual suspensão, se tudo correr pelo aceitável, será levantada apenas em 2015 (e não em 2014) e mesmo a reposição vai ser faseada. Faseamento esse, PPC sabe tão bem como eu, não foi assim tão bem publicitado como afirma em nota introdutória ao tema na entrevista à Rádio Renascença.

5ªNota: São más notícias mas não serão surpresas absolutas! É a tal década para recuperar que precisamos.

sinto-me: bem
música: Go with the flow (songs for the deaf)
publicado por Planeta Roxo às 22:53

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 2 de Abril de 2012

Flash Liberal- Cortar onde se pode hoje não onde se deve amanhã

No ministério do CDS/PP andam perigosamente a brincar aos trocos visando o presente. Acharia bem porque estamos em emergência, desde que não se rapassem tachos já de si sem sobras. Contudo, noutra vertente da segurança social continuamos surpreendentemente a acolher o princípio da 'Solidariedade Geracional'. Isto é, a vergonhosa distorção democrática do nosso estado social continua por via do princípio subjacente ao pagamento de reformas. Alguém quer ir além da Troika onde interessa e muito?

 

Já agora, sobre as propostas em concreto acho aceitável a relativa ao subsídio de mortalidade. Quanto às alterações das baixas médicas estarão certamente a brincar com a dignidade das pessoas, até mesmo o aumento que anunciam parece ser para quase ninguém. Fiscalizem mais e não tratem todos os portugueses como agiotas do Estado. Os liberais não esperam soluções de chico-esperto mas sim de coragem. Segundo as propostas em cima da mesa quem ganha 600 € por mês, se ficar um mês de baixa, deixa de contar com um apoio 390€ e passará para os 330€. É muito corte para quem ganha tão pouco. Ou menos façam escalões também para níveis de rendimentos! Aplicam a sensibilidade cristã que tanto usam na boca.

 

sinto-me: bem
música: Demon Days (Gorillaz)
publicado por Planeta Roxo às 23:45

link do post | comentar | favorito
psroxo@sapo.pt
Site Meter

pesquisar

 

posts recentes

Reflexões de observador a...

Notas Direitas- Projecçõe...

Agora só quando vale...e...

O Nº226034 está-lhe grato...

É muito melhor que as 'pa...

Só para avisar que se me ...

Onde está a equidade cons...

Precisamos de oportunidad...

O meu olhar sobre polícia...

Flash Liberal- Passos Coe...

Maio 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
31

tags

todas as tags

arquivos

Maio 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

mais sobre mim

blogs SAPO